Sistema semafórico em tempo real

Em três meses, Goiânia deverá contar com controle semafórico em tempo real. Esse é o prazo que a Agência Municipal de Trânsito (AMT) deve levar para instalar - na Praça Cívica, Avenida 84 e Rua 90 - os laços indutivos, equipamentos que farão a contagem de veículos, bem como a taxa de ocupação das vias, o que permitirá adequar, imediatamente, o tempo dos semáforos, garantindo maior fluidez ao trânsito.

Inicialmente, serão instalados 126 equipamentos, podendo chegar a 162, em pontos de maior demanda na cidade. As informações captadas pelos equipamentos serão enviadas para a Central de Controle Semafórico da AMT, que interliga 80% dos cruzamentos semaforizados da capital.

Isso permitirá alterar automaticamente, de acordo com a necessidade verificada, o tempo dos semáforos, direcionando o verde para as faixas que apresentarem maior taxa de ocupação, o que significa mais veículos parados aguardando passagem.

programação
De acordo com o engenheiro de trânsito da AMT, Carlos Alberto de Miranda, da forma como ocorre hoje, o tempo de ciclo dos semáforos é fixo. Segundo explica, até agora, faz-se uma pesquisa, geralmente de uma semana, que subsidia a programação dos semáforos. Com isso, muitas vezes se encontra um faixa congestionada devido ao sinal fechado, enquanto o outro lado fica livre e sem trânsito.

Com o novo sistema, esclarece o engenheiro, o próprio software existente no equipamento fará a reprogramação do semáforo, de acordo com a demanda verificada na faixa em que está instalado e com a aferida pelos outros laços do mesmo cruzamento.

A novidade permitirá atender a uma reivindicação antiga dos condutores, que é a maior frequência das ondas verdes. “A demanda é que vai determinar o tempo do sinal”, assinala Carlos.

Atualmente, cita, existem laços indutivos instalados nos cruzamentos das Ruas 9 com 136, e das Avenidas T-3 com T-4, mas apenas para efeito de contagem de veículos.

fluidez
O resultado esperado, frisa o engenheiro da Agência Municipal de Trânsito, é a maior fluidez do trânsito, além de um maior conhecimento sobre o que está acontecendo no trânsito da cidade, como a demanda veicular.

Somente na Praça Cívica, serão instalados 90 dos 126 equipamentos previstos. Isto porque cada faixa de rolamento requer um equipamento.

Presidente da AMT, Miguel Tiago reforça que, com os laços indutivos, será priorizada a passagem de veículos onde a demanda for maior. Os equipamentos já foram licitados, ao custo de R$ 1 milhão, e a ordem de serviço assinada. Segundo ele, a intenção é cobrir toda a cidade, principalmente nos locais onde há uma maior demanda do transporte coletivo. Para implantar os laços indutivos em toda Goiânia, será necessário investimento de R$ 15 milhões e três anos de trabalho.

modelo
Miguel Tiago lembra que o modelo adotado em Goiânia é o mesmo utilizado na cidade de Curitiba (PR). Sistemas semelhantes funcionam em São Paulo e Fortaleza, entre outras capitais brasileiras. Goiânia possui 522 cruzamentos semaforizados, dos quais 440 estão ligados à Central de Controle Semafórico da AMT. Essa interligação permite que os reparos nos equipamentos sejam feitos imediatamente, sem a necessidade de acionamento por pessoas.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.